• Loester

A Autoconfiança das Mulheres aumenta na medida em que envelhecem

Estudo da Revista Harvard Business Review aponta que o percentual de confiança das mulheres em si mesmas só se equipara ao dos homens entre 41 e 45 anos de idade. E será que a fotografia sensual pode ajudar nisso?



Que mulheres ocupem muito menos cargos de liderança que os homens, não é nenhuma novidade. Mas perturba o fato de que se analisarmos, apenas como exemplo, as empresas posicionadas na bolsa de valores americanas, as que têm mulheres como CEOs são, no máximo, 4,9% delas. Mais de 95% dos CEOs são homens. Obviamente, existem inúmeros fatores que contribuem para que hajam percentuais tão baixo de mulheres em altos cargos.

Na contramão dessas estatísticas, as mulheres são percebidas por seus chefes como mais eficientes que seus colegas do sexo masculino, e isso em todos os níveis hierárquicos de uma empresa.

Em avaliação de 19 capacidades que diferenciam líderes excelentes dos medíocres, as mulheres estão a frente em 17 delas! Elas são consideradas mais eficazes que os homens em 84% dos quesitos.

Mas, curiosamente, quando as mulheres são solicitadas a se auto avaliar, não são tão generosas em suas classificações. A pesquisa aplicada pelos pesquisadores da Universidade de Harvard ouviu mais de 8 mil pessoas, mulheres em sua maioria, e mostrou que um dos fatores que levam mulheres a não ocuparem esses altos cargos é justamente a autoconfiança.

Entre os menores de 25 anos, a diferença dos índices de confiança entre homens e mulheres é gritante. E é muito provável que realmente não passe de confiança em si mesmos, nada tendo a ver com a competência propriamente dita. Mulheres são muito mais competentes do que pensam que são e homens se assumem muito mais eficientes do que realmente são.

É por volta dos quarenta anos de idade que os índices percentuais de confiança se equipararão. E, quanto mais envelhecem, mais as mulheres tendem a se tornarem autoconfiantes, enquanto que os homens seguem, em ritmo contrário, ladeira abaixo na convicção em si próprios.

Complementando tudo isso, há ainda pesquisas que mostram que as mulheres tendem a não se candidatar a cargos ou empregos cujas qualificações listadas para a vaga elas julguem não possuir. Enquanto que um homem com as mesmas habilidades raciocina de maneira inversa: mesmo que saiba não possuir as qualificações necessárias, crê que pode adquiri-las enquanto já ocupa a nova vaga.

Esse é um dos motivos, ainda, pelos quais as mulheres estejam mais abertas a receber feedbacks vindos de outras pessoas, tornando-as líderes mais eficazes quando analisamos num período de tempo mais prolongado.

Na medida em que as mulheres envelhecem, elas têm uma percepção diferente a respeito de suas capacidades em relação ao que tinham quando mais jovens. Com certeza a experiência as ajudou a criar novas habilidades e a fixas as que já tinham, mas a confiança nisso, só ganharam com o passar dos anos.

Tudo isso só reforça que as mulheres são líderes muito mais eficientes e competentes que os seus pares masculinos. Quando são dadas as mesmas oportunidades para ambos os sexos, as mulheres têm mais chances de obter sucesso do que os homens, desde que sintam confiança para se candidatar à vaga.

As empresas também devem mudar sua forma de contratação. Partindo da premissa que, em uma mulher jovem, pode ainda haver a questão falta de autoconfiança, não contratar um homem só porque ele se afirma capaz para a vaga, ou deixar de contratar uma mulher por ela se julgar não qualificada. As informações técnicas são o que deve balizar a escolha dos candidatos.

Enfim, o estudo apresentado pela Harvard Business Review serve, acima de tudo, para que as mulheres analisem que tem todas as condições e, às vezes, mais competência que homens em condições iguais de disputa e que não devem abandonar um disputa apenas por acharem que não sejam capazes. Se eles se julgam eficientes, elas também o são!


Mas aí você se pergunta: como faço para aumentar minha autoconfiança?

A primeira coisa é você saber que existe muito mais poder no seu interior do que imagina. E, se ainda assim, for difícil de acreditar, eu posso te ajudar um pouco nesse processo de aquisição de confiança em si, de elevação da autoestima. Como? Com a fotografia sensual, ou o boudoir, é lógico! Ou será que ainda te restam dúvidas de que se olhar numa foto e se achar linda não é um ótimo afago ao ego, uma ótima fonte de emporedamento interno? Entre em contato comigo agora e vamos conversar sobre isso!


Loester é fotógrafo de boudoir, sensual e gestantes em Brasília, Distrito Federal e região com larga experiência na área e com certeza te fará sentir-se muito à vontade em seu ensaio sensual.




51 visualizações0 comentário

2020 - Loester
created with Wix.com

Facebook                     Instagram                     Twitter